Obituário: 2013

2013

Foram registrados 5 latrocínios e 1 homicídio

♦ 30 de Março - Entre 1h30min e 3h, três taxistas foram mortos de forma covarde, cada um com dois tiros na cabeça, disparados da mesma arma, calibre 22. EDSON ROBERTO LOUREIRO BORGES, 50 anos de idade, foi encontrado morto na Rua dos Nautas, Vila Ipiranga. Já o táxi prefixo 1674, da Radiotáxi Coop Táxi, abandonado na Av. Bogotá, Jardim Lindoia. A segunda vítima foi encontrada na Rua São Jerônimo, Passo D??Areia. EDUARDO FERREIRA HAAS, 31, dirigia o táxi prefixo 4437, do Ponto Fixo Assis Brasil 6464. O veículo ficou estacionado na Rua Mata Bacelar, Auxiliadora. A terceira vítima, CLÁUDIO GOMES, 59, prefixo 3299, do Ponto Fixo da Estação Rodoviária. O crime ocorreu na Rua José da Maia Martins, Mario Quintana. A polícia encontrou no local o veículo e o corpo do taxista. Em 15 dias a polícia solucionou o caso e prendeu Luan Barcelos da Silva, 21 anos. Ele confessou todos os crimes praticados nos dias 28 e 30 de março. No primeiro dia, ele matou três taxistas, dois em em Santana do Livramento e um em Rivera, no Uruguai. No segundo, outros três na capital. Ele contou aos policiais que estava devendo o aluguel do apartamento de dois quartos onde morava com um amigo no bairro Santa Cecília, zona central de Porto Alegre. Luan tomava os táxis, sentava no banco de trás e disparava contra a cabeça dos motoristas sem anunciar o assalto. Removia os corpos dos veículos, ficava com os bens das vítimas e seguia com o táxi até encontrar o próximo alvo. A sucessão de latrocínios rendeu cerca de R$ 470,00 em Livramento e R$ 400,00 em Porto Alegre.

9 de Maio - DARCI MARQUES MACHADO NETO, conhecido como Caco, 29 anos, prefixo 4889, foi morto com três disparos - nas costas, braço e peito. O crime ocorreu pouco antes da meia-noite na Rua Prisma, Morro Santa Teresa e o táxi, Fiat Siena, placas IRB 5581, foi deixado por pelo menos dois homens na Rua Dona Ondina, Menino Deus, não muito longe do local onde estava o corpo da vítima. Os policiais foram informados da localização do táxi por um morador que, ao tentar entrar em casa, encontrou o veículo estacionado em frente a garagem. A polícia tem imagens das câmeras de monitoramento de uma residência vizinha que vão auxiliar na investigação do caso. Dois homens foram vistos saindo do veículo. Darci estava lotado no Ponto Fixo da Estação Rodoviária de Porto Alegre e, segundo os familiares, trabalhava há três anos como taxista. Ele era natural de Porto Alegre e deixou a Esposa, Tatiane, 24 anos e dois filhos, uma menina de cinco e um menino de apenas sete meses. A polícia trabalha com a hipótese de latrocínio, pois o taxista foi encontrado sem dinheiro na carteira e, como tinha começado às 17h, acredita-se que teria cerca de R$ 200,00. O corpo de Darci foi velado e sepultado no Cemitério Municipal São João, em Porto Alegre.

28 de Junho - CLEOMAR SANTOS DA SILVA, 49 anos, prefixo 1169, foi esfaqueado no interior do táxi na Av. Taquari, Cristal, zona sul de Porto Alegre. Ferido, Cleomar perdeu o controle do Chevrolet Classic, placas IRU 7659, do Ponto Fixo da Rua Quintino Bocaiúva, desceu a via e bateu em outro veículo que estava estacionado. Segundo a Brigada Militar, o taxista ainda teve forças para dizer a um colega que chegou rápido no local, que havia sido assaltado. Ele foi socorrido mas morreu a caminho do Hospital de Pronto Socorro (HPS). Testemunhas viram dois homens que desembarcaram do táxi e depois da batida fugiram a pé. Familiares de Cleomar relataram que ele trabalhava como taxista há cerca de cinco anos, sempre no turno da noite e já havia sido assaltado outras duas vezes. Ele deixou uma filha e um neto com cinco anos. O corpo do taxista foi sepultado no Cemitério Jardim da Paz, na Lomba do Pinheiro, zona leste de Porto Alegre.

♦ 23 de Dezembro - JO?O PEDRO DE SOUZA, 29, prefixo 1212, trabalhava no Ponto Fixo da Rua Jerônimo de Ornelas esquina Rua Jacinto Gomes. Ele levava uma passageira e uma criança para a Rua Amapá, na Vila Nova, zona sul da capital, quando na esquina da Av. Vicente Monteggia, dois homens em uma moto YBR vermelha bateram levemente no táxi. O taxista desceu do veículo e houve discussão. Quando seguia novamente pela Rua Amapá, ele percebeu que os dois motociclistas retornaram e alertou a passageira: "Já vi que vou me incomodar." O motociclista encostou ao lado do carro e o carona disparou três vezes. Dois tiros atingiram a porta do Volkswagen Voyage e um acertou João Pedro que morreu no local. A passageira e a criança não se feriram. Os marginais fugiram após o crime.